Mitos e verdades sobre alimentação de gestantes

Durante a gestação, é comum que todo mundo queira dar uma dica ou palpite para a grávida. Tanto sobre cuidados com a pele e atividade física quanto sobre alimentação. Muitos destes “conselhos” são baseados apenas em crenças populares e não possuem nada científico que prove seu benefício ou malefício.

Abaixo, vamos citar alguns que geram dúvida quando o assunto é o consumo seguro na gestação.

Café: Se puder evitar, melhor. A cafeína é excretada em até três horas por uma mulher que não está grávida. Na gestação, a excreção pode levar até onze horas. O tempo de contato com organismo é grande e doses elevadas podem favorecer o baixo peso ao nascer. Portanto, mais prudente evitar.

Bebida alcoólica: Uma tacinha de vez em quando tudo bem? Errado. Há um consenso emergente de estudos em humanos que sugerem não haver nível seguro de consumo alcoólico na gravidez.

Chá: Os únicos chás permitidos durante o período gestacional são os de fruta. Isso porque não há literatura suficiente que embase a recomendação dos demais. Portanto, melhor evitar chazinhos como os camomila, hortelã e erva-doce, além dos amargos.

Comida japonesa: Para os que acham que o peixe é um transmissor da toxoplasmose, podem ficar tranquilos, pois não é verdade. Os únicos cuidados com relação a comida japonesa é a origem da matéria-prima e higienização do lugar a ser preparado o alimento, isto evita a intoxicação alimentar.

Qualquer dúvida, antes de comer pergunte ao seu nutricionista.

 

Publicado em 19 de abril - blog

Faça o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *