Como consumimos vegetais ao longo da história

Na alimentação humana, as frutas e hortaliças sempre fizeram parte do cardápio, pois a variedades desses alimentos está disponível há milhares de anos, de acordo com cada região do planeta. Porém, apenas na era das grandes navegações é que essas espécies se tornaram igualmente disponíveis para todas as culturas.

As primeiras civilizações
Os registros arqueológicos indicam que os europeus consumiam trigo, fava, ervilha, nabo, cenoura, rabanete e repolho. Já na América Central, milho, feijão, abóbora, tomate e abacate eram os vegetais mais comuns. A semente de mostarda temperava os alimentos na Europa e na Ásia e as pimentas eram as especiarias das Américas.

Acredita-se que o cultivo era feito pelo método rudimentar de deixar as sementes em montes de lixo férteis. Há aproximadamente 5 mil anos, a maioria dos vegetais consumidos hoje em dia já era utilizada como base da alimentação.

Grécia, Roma e Idade Média
O ocidente, as frutas eram consumidas como sobremesas, e na Idade Média já existiam saladas com receitas semelhantes às da França no século XVII. No Império Romano, havia cerca de 25 espécies conhecidas de maçã e 35 de pera devido à prática de enxertar ramos em outras árvores.

Práticas do Novo Mundo
O comércio de vegetais e especiarias ajudaram a construir a história da exportação mundial nos últimos 500 anos. Os grandes navegadores estavam procurando novas rotas para quebrar o monopólio do comércio e, consequentemente, descobriram novas terras. Então, novas espécies de legumes foram introduzidas na alimentação do Novo Mundo. Nos séculos XVII e XVIII, o hábito de cozinhar os alimentos foi se tornando mais comum. O palácio de Luís XIV, em Versalhes, marcou a história do cultivo em hortas e pomares. Além disso, a dieta vegetariana para a Quaresma e outros jejuns religiosos aperfeiçoaram o preparo de verduras e legumes. As colheitas que substituíam a carne eram ervilha, nabo, alface, espinafre, repolho, pepino, aipo, cenoura e beterraba.

Século XIX
O preparo de hortaliças na culinária inglesa foi se simplificando até ser reduzido a cozimento e tempero. Já na França, a busca por uma alimentação mais requintada apenas começava e se tornava mais profissional.

Nos dias de hoje
As inovações tecnológicas começaram a fazer parte da culinária também..Com a industrialização, a população foi atraída do campo para a cidade e o cultivo de frutas e legumes foram ficando escassos. No século XX foram descobertos os benefícios e vitaminas dos vegetais, chamando a atenção para a saúde humana Outra característica dessa época é o interesse por ingredientes exóticos e incomuns, assim como valorizar a culinária local e orgânica.

Publicado em 15 de janeiro - blog

Faça o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *